29 de abril de 2011

Planeta Colorido

Cheguei em casa outro dia, no meio da aula de desenho do meu filho e como sempre, fui xeretar o que ele e o professor estavam aprontando. Aí, o Novaes, o professor, me mostrou esse desenho e começou a me contar a história que eles criaram enquanto desenhavam.
O processo deles é utilizar o mesmo papel e fazer ali naquela única folha uma história a 4 mãos.
Cada um é responsável por desenhar uma parte da história e interferir no desenho do outro quando os personagens interagem entre si. Conforme inventam as coisas, automaticamente vão acrescentando no desenho os elementos novos que aparecem, ou apagando aqueles que sumiram da história no meio do caminho. Por isso, muitas vezes os desenhos ficam super apagados ou super rabiscado …
Amei o que eu ouvi e perguntei se eu mesma poderia colocar em palavras aquela história toda que eles só ilustraram, mas não escreveram.
Claro que eles deixaram e eu fiquei muito contente. A seguir vou contar o processo todo da imaginação deles e como foi surgindo a história, segundo o próprio professor que me escreveu o seguinte:

” Eu falei que ia desenhar um planeta e comecei a
fazer no meu papel, mas o Gabo pediu pra que eu fizesse na mesma folha, então começamos cada um
a fazer o seu! Só que ele disse que o dele seria colorido, e eu falei que o meu era P/B, mas que eles tinham visto pelo telescópioo o dele colorido e os habitantes muito felizes, e os meus sérios ficaram maravilhados,
tanto que quiseram saber como fazer cor! Mas os do planeta dele ficaram com
medo de que os meus quisessem invadi-los, e não aceitavam contato nenhum!
Os meus gesticulavam, gritavam, jogaram um celular ( ah sim, porque o Gabo disse
que os meus eram P/B mas tinham tecnologia, e os dele eram felizes e coloridos sem tecnologia…),
mas eles não sabiam o que era celular, e o celular ficou perdido no espaço!
Tentei fazer uma ponte, mas de madrugada os dele serraram a ponte! Como a minha
insistência era tanta, os dele resolveram jogar uma bolinha amarela pros meus, e foi
a maravilha das maravilhas, os meus babaram na cor da bolinha! Era a primeira vez que eles
viam uma cor de perto!! Aí o deles mandou um taco de basebol azul!!! Nossaaa!!! Foi uma
sensação!! Um dos meus então, devolveu a bolinha amarela pros dele, usando o taco
azul, e riu da proeza….Aí o Gabo falou: êi, ele ficou colorido!!! E pintou o meu habitante!!
Achei genial a solução dele!! Então continuei dizendo que o rei dos meus riu do cara que
ficou colorido, e, claro, ficou colorido tb!! Aí o conselheiro do rei, riu do rei, e assim por diante!!
Quando todos ficaram coloridos, o planeta começou a ficar colorido!
Só não sei, porque não terminamos, é se os dois planetas ficaram amigos! Uma das idéias do
Gabo é que eles ….”

Eles não me contaram o final da história!!! Bom, ao menos eles me pediram pra reescrever essa história.
E é o que eu vou fazer, mas o bacana do processo todo é que o desenho vai se transformando conforme eles vão criando. O telescópio, a ponte, o celular, a bolinha amarela, taco de basebol, todos esses elementos, não começaram na história e conforme a imaginação deles vai caminhando, esses detalhes vão sendo inseridos no desenho. Assim como as cores foram surgindo uma a uma nos habitantes P/B conforme a brincadeira com o taco ia acontecendo.
Para mim, esse é um dos processos mais ricos de se observar e extremamente inspirador!
Aguardem. Espero em breve escrever e colocar esta história no O Pequeno Leitor com os devidos créditos.

Deixe um comentário