27 de maio de 2011

O que é isso mamãe?

Saiu uma matéria sobre leitura na Veja de 18 de maio, sobre o comportamento dos jovens em relação a leitura, mostrando que ao contrário do que se pensa, existe uma multiplicação dos jovens que gostam de ler e reconhecem que um bom texto ainda é um instrumento decisivo para a vida pessoal e profissional.
Um fator interessante abordado, é o uso da internet pelos adolescentes para propagar esse hábito, criando grandes discussões literárias entre eles.

Antes de mais nada, gostei da matéria, mas vou começar pelo final que me chocou e por isso o título do meu post. O último parágrafo fala de uma situação verídica observada em um dos mais caros shoppings center de São Paulo: uma mãe passeia com seus filhos, de uns 5 e 8 anos, quando o mais velho todo entusiasmado chama a atenção da mãe: ” Olha, uma livraria! Vamos lá mamãe? E aí vem a parte chocante.
A mãe puxa o filho na direção contrária e diz: “Livraria? E o que é que você quer fazer lá?”

E eu me pergunto: O que é isso mamãe? Em que mundo você vive quando todos lutam para conscientizar pais da importância de seu papel na formação literária de seus filhos?
Que mundo paralelo é esse quando pipocam matérias e mais matérias falando sobre o poder da leitura na formação intelectual de uma pessoa? E mais, sobre os benefícios de gostar de ler, compreender, refletir e com isso adquirir conhecimento, se tornando um ser pensante.
Você deveria agradecer por seu filho conseguir gostar de ler, apesar da sua falta de interesse em enxergar nisso uma atitude de grandeza e sabedoria, vindo de alguém com 8 anos.
O que é melhor, um filho pedindo pra entrar numa loja de brinquedo exposto a todo tipo de consumo descartável ou pedir pra mergulhar num mundo de histórias que pode surpreende-lo o tempo todo?
Realmente não compreendo esta atitude, principalmente de alguém que vem de uma classe provavelmente mais esclarecida…

Bom, vamos ao que interessa. A matéria fala bastante sobre ler por prazer e não por obrigação. E quando provamos desse deleite, cada vez mais o livro se tornará um objeto de desejo. Basta apenas um empurrãozinho com o qual a pessoa se identifique para que o leitor potencial deslanche e, guiado pela sua curiosidade, se aventure pelos caminhos infinitos e as diversas possibilidades que os incontáveis autores foram abrindo caminho nesses 3.000 anos de criação literária.
Contra todas previsões sobre a morte do livro e do hábito de ler, com o avanço do cinema, da televisão, videogames, internet , acreditava-se que a leitura se tornaria obsoleta.
Ao contrário destas expectativas, vem surgindo uma nova e robusta geração de leitores no país, movias sim, por sucessos globais como Harry Potter, Crepúsculo e Percy Jackson.
Isso não importa, o que importa é que a leitura iniciada pelo prazer, vai levar a outras tantas obras e é assim que o leitor vai amadurecendo e descobrindo o seu gosto literário. Um livro puxa outro e a matéria oferece diversas possibilidades para quem quer começar.
Hoje os jovens estão usando seus blogs para formar esse rede de discussões literárias. E o resultado dessa iniciativa é surpreendente, ganhando cada vez mais adeptos desses encontros.
Um estudo divulgado no mês passado pela Universidade de Oxford, demonstra uma conexão inequívoca entre leitura e sucesso profissional.
Resultado: a leitura se revelou o único fator que, de forma consistente, esteve associado a ascensão profissional. Para mulheres, a chance de ter um cargo mais elevado cresce de 25% para 39% quando lêem. Para homens, de 48% para 58%.
O progresso pode estar associado ao desenvolvimento do vocabulário e ao domínio de conceitos abstratos propciados pelo hábito da leitura. A pesquisa centrou-se na leitura extracurricular.
ou seja, o livro lido por prazer é o que realmente conta.
Vale lembrar também que cabe aos pais darem esse empurrãozinho voltado ao lado prazeroso, fazendo porgramas com seus filhos que incluam a leitura, mostrando que esse mundo pode ser muito instigante e divertido.
Volto para a mãe que eu citei no começo. Entendeu o recado, mamãe?

Deixe um comentário